-->

sábado, 25 de julho de 2015

Homem Formiga, adeus fase dois!

Oi gente, tudo bem com vocês?

Hoje o assunto é sobre o último filme da Segunda fase do Universo Cinematográfico da Marvel: O Homem formiga. - Sim, o filme desse pequeno grande herói que enfrentou troca- troca de equipes, inclusive, de diretor mas, que no fim das contas surpreendeu muita gente.



Origem


A primeira coisa a se notar é que o filme não se trata do Homem Formiga original: O Doutor Hank Pym (Michael Douglas) – que nos quadrinhos foi um dos fundadores dos Vingadores Originais e, inclusive, foi o criador do Ultron (O vilão de Vingadores 2) – Trata-se da passagem da identidade do Homem Formiga do Hank Pym para o Scott Lang.


Início

Scott Lang (Paul Hudd) a princípio é um ladrão (e engenheiro elétrico de quebra) com amigos do mundo do crime – Não sei se foi só eu mas essa apresentação carcerária me lembrou, E MUITO o entrosamento de Guardiões da Galáxia - , que entraram nessa pelos mesmos motivos que ele: Válvula de escape. Após dar adeus à cadeia ele tenta mudar de vida pra conseguir o respeito da sua ex-mulher e o direito de ver sua filha, no entanto, nenhum empregador quer dar uma segunda chance a Scott que é ex- presidiário, a presença dele no aniversário da filha lhe é negada o que o leva a entrar em um esquema para roubar um “velho milionário” que por acaso é o Hank Pym, afim de conseguir dinheiro para a pensão da pequenina.



Ritmo

O ritmo do filme é muito intenso e ganhou pontos comigo por não ter aquela quebra de ritmo ultra-chata que costuma ter em Vingadores, onde você acha que chegou no ápice da ação e eles ficam 10 a 20 minutos fazendo absolutamente nada (não encontrei essa quebra em Guardiões da galáxia também, um dos motivos por ser o meu filme predileto da Marvel, até agora).
O Hank Pym nessa história aparece como o meio do Scott se redimir. Não fica muito bem explicado porque ele é o escolhido (pelo menos eu não entendi com muita clareza, apesar da extrema inteligência do Scott, não vejo mais ligações senão a frase “bem o seu tipo de gente” dirigida ao Hank sobre ter escolhido o Scott).

Como miniaturizar as pessoas?

Para os que não estão familiarizados com o Dr. Henry Hank Pym nos quadrinhos, ele cria as chamadas partículas Pym, uma fórmula que consegue encolher as pessoas, aproximando seus átomos, porém, mantendo a força, ou seja: O ser continua com a mesma massa, só que ocupando menos espaço, aumento de densidade (não precisa entender essa parte).
E por que o Scott tem que usar o traje?

Vilão

Darren Cross (Corey Stoll- House of Cards), o ex “Padawan” do Hank ficou tão obcecado pelas “lendas” criadas ao redor das partículas Pym que tenta criar a mesma tecnologia em forma de traje para criar um exército de homens pequeninos, com a capacidade de entrar em cofres, pastas com arquivos confidenciais, matar soldados sem ser visto (percebeu a noção do perigo?). Em minha opinião, e pelo que eu vi, da maioria das pessoas que sigo e que viram o filme, o vilão foi um verdadeiro fiasco, a começar pelo nome que já é ridículo desde a HQ: Jaqueta amarela. 


Sem contar o enorme FURO que existe no filme: O Darren enquanto não consegue encolher as coisas vai testando em pequenos seres vivos e eles viram uma geleia, inclusive ele mata um cara com essa arma, pega um papel higiênico e da descarga nessa gosma que sobrou da pessoa (do tamanho de um chiclete). Imagina só essa arma contra o Hulk? Adeus Hulk, por que diabos eles não exploraram mais essa arma?

Além disso o vilão não é nada do que não vimos em outros filmes da Marvel, temos o mesmo tipo de vilão em O Homem de Ferro com o  Obadiah Stane:
Um empresário rico, careca, bem sucedido, "amigo" do herói, obcecado por tecnologia, inteligente, com ideias que podem acabar com o mundo. Na verdade essa “fórmula” da Marvel faz sucesso (por enquanto) mas todo mundo já está cansado disso, até o George R.R. Martin, criador de Game of Thrones, acabou reclamando da mesmice dos vilões apresentados.

No entanto, não culpo as falhas do vilão ao ator Corey Stoll e sim ao troca troca de equipes que deve ter causado toda essa bagunça.

Prós


É um filme de origem (ou seja, de apresentação do personagem, surgimento) muito bom, com um excelente equilíbrio entre o cômico e o sério.
Aliás, por falar em cômico, impossível não dar altas gargalhadas com o Luís (Michael Peña). Ele faz o papel de um ex presidiário e amigo do Scott, gente vocês não tem noção das voltas que o cara dá pra contar uma vírgula, inclusive quando ele vai contando aparece outros personagens contando as coisas na voz dele (o que é HILÁRIO), em uma dessas cenas inclusive aparece nosso glorioso Stan Lee. 

Outra parte que marcou pra mim, foi quando o Jaqueta Amarela e o Homem formiga estão lutando, o vilão grita "Eu vou desintegrar você, Desintegraçãooo" e o celular reconhece pelo sensor de voz e começa a tocar Disintegration do The Cure (ri "pacas").

O primeiro contato do Scott com o traje é adorável (a diminuição de tamanho dentro de uma banheira, cair em um disco de DJ rodando, se livrar de pisadas em uma boate, etc.). 

Sem falar do Flashback incrível do Hank em seu tempo de Homem Formiga com a Vespa (sua esposa) e dele com a SHIELD, onde mostra Howard Stark e Peggy Carter velhos tentando convencer o Hank a ceder a fórmula das partículas Pym(que é capaz de diminuir as coisas), o que causa sua saída. 

Atenção para o atrito entre Hank e Stark, já que foi confirmada a presença de Scott em GUERRA CIVIL, é provável que ele abrace a causa de seu tutor que com certeza não deve ficar do lado de Tony Stark, inclusive, o que ainda reforça essa teoria é que Scott lutou com o Falcão no galpão dos Vingadores e depois o próprio Falcão vai atrás dele (e na cena pós-crédito Falcão menciona indiretamente ele ao Capitão América).

Esse texto já está ficando enorme então vamos para a parte das cenas pós-créditos, se você não viu ainda, saiba que existem DUAS cenas pós- créditos o que confunde muita gente que acaba vendo só uma, ou nenhuma. 

Até agora não dei nenhum Spoiler importante do Homem Formiga, então, se não quiser saber o que existe nas cenas pós-créditos, pare de ler aqui!



Na primeira cena, temos o futuro da Vespa sendo moldado e entregue à filha do Hank: Hope van Dyne, (que é interpretada pela mesma atriz que fez Tauriel em O Hobbit) ela ajuda todo o filme a treinar o Scott (a princípio a contra-gosto) e acaba virando o par romântico do mesmo, com direito a beijo no final (tinha que ter né?)


Na segunda aparecem Falcão e o Capitão encontrando o Bucky (Soldado invernal) e ficam meio perdidos, sem saber o que fazer com ele, dá a entender que é secreto a volta de Bucky, o que sugere aí uma “lei de registro” para os super-heróis e uma entrada pra Guerra Civil (é nessa parte que Falcão diz: Conheço um cara - fazendo alusão ao Scott).


E aí, o que achou do filme? O que achou do post? Comenta com a gente nos comentários, não deixe de seguir o blog, só assim você fica por dentro de todas as postagens!

6 comentários:

  1. Nathy, parabéns por mais um trabalho nesse blog, muito bom msm e em relação ao filme : excelente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Lucaaas, também achei um excelente filme, vamos aguardar a fase 3!

      Excluir
  2. Nathalia otimo filme pena que a formiga que ele montava morreu. ��������

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade ju, uma verdadeira pena, vamos fazer 1 minuto de silêncio pelo Anthony!

      Excluir
  3. Ainda não assisti esse filme (meio que me atrasei nas franquias da Marvel), mas ele promete *---* enfim este pequeno herói ganha algum destaque (e merecido destaque). Quero assistir logo >< amei seu blog, falando de temas que gosto tanto, livros e filmes *---* a propósito, você teria algum livro para me indicar? Obrigada pela visitinha em meu blog XD

    http://www.uprisingteen.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha tenho vários livros, mas aí depende do teu gosto flor, que ótimo que gostou, fico muito feliz em saber disso, aliás seu blog é muito bom tbm, super fofo! Sucesso s2

      Excluir